fbpx

60 segundos com Paulo Miranda

Como nasceu e o que caracteriza os vinhos da Escaravelho Wines?

A Escaravelho Wines nasceu do desejo de criar um projeto vinícola com caráter diferenciador na região Tejo, privilegiando a qualidade em detrimento da quantidade.

Criamos vinhos com perfil assumidamente gastronómico, apostando nas melhores castas e tirando o máximo partido do que elas podem gerar na região.

O que torna a região e a Quinta de onde são originários especiais?

Por um lado, a localização no limite sul da região Tejo (perto de Lisboa). Por outro, a zona específica onde estamos – Casais da Lapa – apresenta algumas particularidades que se refletem nos nossos vinhos: de um lado temos o Tejo e do outro a Serra de Montejunto, o que significa que beneficiamos de um clima e solo distintos da generalidade a região do Tejo – solos essencialmente argílio-calcários e alguma zona de areia.

Quais as castas utilizadas / predominantes e que características conferem aos vinhos?

Nas castas tintas, a Alicante Bouschet, a conferir cor, corpo e fruta vermelha e silvestre aos vinhos, a Syrah, para um toque de especiarias, a Touriga Franca, com frescura (acidez) e fruta vermelha, e a Touriga Nacional, responsável por aromas e sabores florais.

Já nas brancas, destacam-se a Chardonnay, pela sua untuosidade e fruta madura, a Arinto, conhecida pela acidez e alguma mineralidade, e a Fernão Pires, a conferir aos vinhos uma exuberância floral.

O que distingue os vinhos Escaravelho Wines de outros da mesma região?

Seremos provavelmente não apenas o mais recente, como o projeto de menor dimensão na região do Tejo, o que nos distingue, desde logo, ao nível da produção.

O nosso foco enquanto projeto de pequena dimensão está em disponibilizar uma oferta de qualidade e simultaneamente diferenciadora, traduzida em vinhos com perfil (aromas e sabores) exclusivos.

Que vinhos se destacam da gama e porquê?

O Escaravelho Tinto 2018, com perfil bastante exuberante em termos de aromas, mas sobretudo ao nível do sabor. Ainda, o Escaravelho Branco 2018, vinificado com as melhores castas brancas da região, e a revelar plenamente o seu potencial gastronómico.

A que tipo de consumidor se destinam? 

A um consumidor cosmopolita, que frequenta a restauração, wine bares, e que procura vinhos com um perfil diferente.

Se tivesse de descrever os vinhos em três palavras, quais seriam? 

Frescura, diferenciação e exclusividade.

Vão existir outras referências no futuro?

Disponibilizaremos em breve uma nova gama, “Escaravelho Castas”, composta por dois vinhos monovarietais: um Fernão Pires  e un Arinto, a demonstrar o melhor que as castas podem gerar na região Tejo.

Também o “Escaravelho Limited Edition 2018”, uma edição de 500 garrafas de um monovarietal de Syrah, que estagiou 12 meses em barricas de carvalho francês.


Receber as novidades
do Adegga