Quinta dos Lagares: 60 segundos com Pedro Lencart

Isabel Sarmento e Pedro Lencart
Isabel Sarmento e Pedro Lencart

Como nasceu e o que caracteriza os vinhos Quinta dos Lagares?

O projeto Quinta dos Lagares surgiu da vontade de retirar todo o potencial da propriedade, através da produção de vinhos de quinta, de azeite e de outros produtos aí originados.

A Quinta situa-se em Vale de Mendiz um terroir reconhecido, de onde saem alguns dos grandes vinhos do Douro. Atualmente, o portfolio de vinhos inclui 2 vinhos brancos, um rosé, 4 tintos e Vinho do Porto. Além disso, é também produzido azeite biológico (Zabodez) várias vezes premiado em Portugal e no estrangeiro, particularmente pelo Alvarinho.

O que torna a região e a quinta de onde são originários especiais?

A região de Vale de Mendiz é uma zona de transição entre as baixas altitudes da região do Pinhão e o planalto de Favaios, dando origem a vinhos com caráter próprio. Estas características estão patentes na propriedade com vinhas estabelecidas desde os 260m, próximas do rio Pinhão, até aos 550m já no planalto de Favaios.

Associadas à altitude estão as diferentes exposições das vinhas que permitem obter vinhos frescos mas ao mesmo tempo complexos, com o caráter típico dos vinhos da Região de Cima Corgo. Para além disso, existem na propriedade mais de 35ha de floresta nativa dando origem a uma paisagem harmoniosa onde as vinhas e o olival alternam com manchas de floresta, local de refúgio de fauna auxiliar, que permite uma gestão pouco intensiva em termos de produtos químicos (a produção de vinha é feita em modo de Produção Integrada e o Olival em modo biológico).

Quais as castas utilizadas / predominantes e que características conferem aos vinhos?

Privilegiamos as castas utilizadas são as típicas do Douro, cultivadas em field blend e também em vinhas estremes. As castas predominantes são o Viosinho, o Rabigato e a Malvasia Fina em brancos e a Touriga Nacional, Touriga Franca, Tinta Roriz, Tinta Amarela e Sousão em tintos.

O que distingue os vinhos Quinta dos Lagares de outros da mesma região?

Enquanto vinhos de Quinta, são feitos com uvas da propriedade e, nesse sentido, têm a individualidade que lhes confere o local.

Que vinhos se destacam da gama e porquê?

O Branco Reserva pela sua persistência e acidez, o rosé varietal de Marufo pela sua originalidade, o VV44 (Vinhas Velhas) pela complexidade e profundidade que apresenta e o Porto Vintage, pelo seu equilíbrio e persistência.

A que tipo de consumidor se destinam? 

A consumidores que gostam de harmonizar vinho com comida, que procuram vinhos algo diferentes do mainstream mas que mantêm o caráter da região.

Se tivesse de descrever os vinhos em três palavras, quais seriam?

Vinhos de Quinta.

Vão existir outras referências no futuro?

Sim, mais um varietal, um Porto Colheita, um Porto LBV e, eventualmente, um colheita tardia.


Sim! Quero receber as novidades e promoções do Adegga.