60 segundos com Reynolds Richardson do Mouchão

Como nasceu e o que caracteriza os vinhos Mouchão?

O Mouchão nasce com a expansão do negócio da família Reynolds para o Alentejo, em 1832, tendo em vista a produção de cortiça. Uma série de herdades são arrendadas, entre elas a do Mouchão, até que, em 1876, John Reynolds compra uma delas – a da Cavaca Dourada -, onde são plantadas as primeiras vinhas e onde se encontra a Adega do Mouchão. Já em 1889, são adquiridas as herdades unificadas do Mouchão Velho e do Mouchão Novo, formando assim o que hoje é conhecida por Herdade do Mouchão (que inclui ainda a Herdade do Dom João).

É provável que já existissem algumas vinhas nestas herdades, mas os registos mostram que foram John Reynolds e ao seu primo William Reynolds (Presidente da Comissão Nacional para a Vigilância da Filoxera), que nas décadas de 1870 e 80, em parceria com dois professores vindos da Universidade de Montpellier, plantaram as atuais vinhas, tendo por base o Alicante Bouschet. A Adega do Mouchão é contruída em 1901, e concluída em 1904, assumindo-se atualmente como a mais antiga adega do Alentejo em atividade.

O que torna a região e a quinta de onde são originários especiais?

Os dias quentes e as noites frescas, aliados a solos bem drenados de aluvião, misturados com solos mediterrânicos vermelhos argilosos, criam as condições perfeitas para a maturação das uvas.

No Mouchão tudo é feito de forma artesanal: a apanha da uva é manual, utiliza-se a pisa a pé em lagares abertos de mármore e prensas manuais, seguindo-se o estágio em tonéis de 5.000L.

Quais as castas utilizadas / predominantes e que características conferem aos vinhos?

A casta predominante, que em Portugal tem o seu berço nesta região, é a Alicante Bouschet, que confere aos vinhos volume, estrutura e concentração, assimo como notas típicas de fruta preta, compota, menta e eucalipto.

O que distingue os vinhos Mouchão de outros da mesma região?

O seu caráter artesanal e imenso potencial de guarda.

Que vinhos se destacam da gama e porquê?

O Mouchão 2013 Tinto, como exemplo do terroir do Mouchão, e o Ponte Mouchão 2015 Tinto, o topo de gama não-Alicante Bouschet, que resulta de um blend de partes iguais de Touriga Franca, Touriga Nacional e Syrah.

De cor granada intensa e aromas de fruta preta, doce de ameixa, menta, especiarias, com notas típicas da Touriga Nacional, o Ponte Mouchão 2015 Tinto exibe-se deliciosamente equilibrado e rico, possuindo uma surpreendente frescura e estrutura, assim como taninos exuberantes que asseguram a sua longevidade. Apesar do seu considerável potencial de guarda, apresenta-se perfeito na sua juventude.

A que tipo de consumidor se destinam? 

A consumidores que procuram vinhos que refletem as castas tradicionais do Alentejo, mas também outros que nascem e se revelam em plenitude neste terroir. 

Se tivesse de descrever os vinhos em três palavras, quais seriam? 

Vinhos artesanais, autênticos e únicos.

Vão existir outras referências no futuro?

Integrámos recentemente o enólogo Hamilton Reis na nossa equipa de enologia e estamos a preparar novidades para breve.


Sim! Quero receber as novidades e promoções do Adegga.