Enoport: 60 segundos com Nuno Faria

Como nasceu e o que caracteriza os vinhos da Enoport?

O Grupo Enoport Wines foi criado em 2005 e reúne algumas das mais antigas e emblemáticas empresas de vinho portuguesas com reconhecimento nacional e internacional, tais como as Caves Velhas, Caves Dom Teodósio, Adegas Camillo Alves, Caves Acácio, Caves Monteiros e Caves Moura Basto.

No seu portfólio contam-se dezenas de marcas, entre as quais Cabeça de Toiro, com 25 anos de história, Quinta do Boição, com vinhos representativos de um terroir especial, e Quinta São João Batista, reconhecida pelos seus vinhos elegantes e frescos.

O que torna a região e a quinta de onde são originários especiais?

Localizada na Reserva Natural da Biosfera do Paul do Boquilobo, entre o Vale do Tejo e os maciços de Porto Mós, Candeeiros e Montejunto, a Quinta de São João Batista beneficia, entre outras influências, de solos argilo-calcários, o terroir ideal para a produção de vinhos macios com corpo e estrutura elevada.

Já a Quinta do Boição, inserida na região demarcada de Bucelas e localizada entre as margens da Ribeira do Boição e do Rio Trancão, estende-se ao longo de 32,5 hectares de vinha em solos argilo-calcários, com uma altitude entre os 87m e 180m e boa exposição solar, apresentando conduções únicas para a criação de vinhos com elevada mineralidade, frescura e acidez.

Quinta de São João Batista

Quais as castas utilizadas/ predominantes e que características conferem aos vinhos?

Na Quinta do Boição, são predominantes o Arinto, nas castas brancas, e o Castelão/Syrah, entre outras misturas, no caso das tintas.

Na Quinta São de João Batista, por seu turno, os vinhos brancos são produzidos a partir de Chardonnay/Fernão Pires e Sauvignon Blanc e os tintos de Touriga Nacional/Cabernet sauvignon/Syrah e Castelão.

O que distingue os vinhos Enorport de outros das mesmas regiões?

O perfil característico dos vinhos produzidos, identitário da região mas simultaneamente particular.

Podemos dizer que da Quinta do Boição saem vinhos frescos de boca, com boa acidez e longevidade, enquanto a Quinta S. João Batista disponibiliza vinhos marcados por uma maior redondez e estrutura.

Que vinhos se destacam da gama e porquê?

O Enorport Cabeça de Toiro Reserva 2016 Tinto, um vinho frutado, macio e encorpado com final harmonioso. Entre os brancos, o Enoport Quinta do Boição Reserva Arinto 2018 Branco, um vinho simultaneamente mineral e untuoso, a revelar a acidez natural do Arinto, e o Enoport Quinta de São João Batista Grande Reserva 2018 Branco, um embaixador da região Tejo, produzido apenas em anos de excecional qualidade.

A que tipo de consumidor se destinam? 

A consumidores exigentes, que procuram o que de melhor cada região tem para oferecer.

Se tivesse de descrever os vinhos em três palavras, quais seriam?

Irreverentes, ambientalmente sustentáveis e inovadores,

Vão existir outras referências no futuro?

Disponibilizaremos em breve o novo Cabeça de Toiro Bull’s Temptation, assim como um Cabeça de Toiro 25 Anos e um Cabeça de Toiro Reserva Privada.


Sim! Quero receber as novidades e promoções do Adegga.

 

Deixe uma resposta